quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Cirurgias Plásticas para o Abdome - Dermolipectomia, Abdominoplastia, Lipoabdominoplastia, Lipoaspiração.



Dr. Eduardo Arnaut
Cirurgião Plástico
Florianópolis








Alterações no formato do abdome, envolvendo aumento de gordura localizada, flacidez de pele, afastamento da musculatura abdominal, ou em alguns casos a associação destas  alterações, deixam muitos pacientes insatisfeitos com a estética da região abdominal.
As cirurgias do abdomem compreendem várias técnicas, dentre elas a lipoaspiração, miniabdominoplastia, a dermolipectomia abdominal ou abdominoplastia e a lipoabdominoplastia.
O entendimento das indicações e as opções terapêuticas para as alterações abdominais evoluiram bastante, conseguimos hoje proporcionar um melhor resultado individual.
É importantíssimo a correta indicação para cada caso, com o adequado tratamento. Para isto, é fundamental uma  correta avaliação por um profissional habilitado, ou seja um cirurgião plástico.

A seguir descreverei as opções de tratamento para cada tipo de alteração abdominal. A adequada indicação depende essencialmente do exame físico do paciente, onde o cirurgião plástico irá conseguir sentir corretamente a elasticidade da pele, quantidade de gordura, e o afastamento da  musculatura abdominal (diástase abdominal).

LIPOASPIRAÇÃO ou LIPOESCULTURA ABDOMINAL:


Os pacientes indicados para fazer esta cirurgia, são aqueles em que há basicamente um excesso de tecido gorduroso (gordura localizada) na região do abdome.
Geralmente as pacientes indicadas são jóvens, nuliparas (que ainda não tiveram filhos) ou tiveram apenas 1 filho, estão dentro do peso corporal ideal ou próximo deste e não apresentam flacidez de pele.
Normalmente estas pacientes são submetidas também a lipoaspiração das costas, tratando desta forma a região da cintura como um todo.

MINIABDOMINOPLASTIA ASSOCIADO OU NÃO A LIPOASPIRAÇÃO:
Quando há pequena a moderada flacidez ou sobra de pele da região abdominal, principalmente da região abaixo da cicatriz umbilical, indica-se a cirurgia popularmente chamada de MINIABDOME.
Esta cirurgia diferencia-se da ABDOMINOPLASTIA ou LIPOABDOMINOPLASTIA, por não causar uma cicatriz ao redor do umbigo, onde estica-se a pele para região inferior do abdome, abaixando-se 2 a 3 cm o umbigo da sua altura original, desta maneira consegue-se retirar o excesso de pele localizado na região inferior do abdome, estigando-se em parte a região acima da cicatriz umbilical.
Nesta mesma cirurgia pode-se ou não associar-se a lipoaspiração para retirada da gordura localizada.

Nos casos em que há afastamento dos músculos retos abdominais (diástase) associa-se a aproximação destes músculos, através de uma sutura interna muscular, diminuindo o abaulamento abdominal causado pela diástase.
As pacientes indicadas para esta cirurgia são aquelas que já tiveram filhos, com presença de flacidez abdominal principalmente da região inferior. Esta cirurgia não tem bom resultados para aquelas pacientes que apresentam muita flacidez abdominal, principalmente quando este excesso esta localizado acima do umbigo.

ABDOMINOPLASTIA OU DERMOLIPECTOMIA ABDOMINAL:
Esta cirurgia está indicada quando há de moderado a grande  excesso de pele da região abdominal. Nesta técnica retira-se um fuso de pele localizado abaixo da cicatriz umbilical. A região do antigo umbigo irá localizar-se no púbis, e o umbigo sairá por um novo orifício, criado exatamente acima da região, onde o umbigo será suturado.

Normalmente, um dos passos desta cirurgia é a aproximação das musculatura abdominal, que encontra-se afastada (diastase). Esta aproximação é feita com pontos internos nos músculos retos abdominais. Isto proporcionará um abdome com menos abaulamento e esteticamente mais agradável.
Geralmente as pacientes indicadas para esta cirurgia são aquelas que já tiveram filho ou filhos e que ficaram com bastante flacidez de pele abdominal. Nestas pacientes a quantidade de tecido gorduroso é normal, não havendo a necessidade da realização de uma lipoaspiração abdominal.


LIPOABDOMINOPLASTIA:

É uma técnica idealizada (Avelar, J. M) e sistematizada (Saldanha, O.R) por cirurgiões plásticos brasileiros, utilizada desde o ano de 2001, no Brasil e no exterior. Técnica já consagrada, é um marco na cirurgia do abdome, por conseguir proporcionar um melhor resultado no contorno corporal da região abdominal. Mundialmente difundida e execultada entre os maiores centros de cirurgia plástica. Proporciona ainda, maior segurança a viabilidade da pele do abdome, por fazer o descolamento da pele através da lipoaspiração, preservando desta maneira os vasos que nutrem a pele abdominal.
Na técnica antiga o descolamento da pele era realizado cortando-se os tecidos e  com eles os importantes vasos que nutrem esta pele. Diminuindo desta maneira, a nutrição sanguínea para esta região e aumentando a possibilidade sofrimento e necrose da pele abdominal.
Como na técnica antiga, realiza-se nesta cirurgia a aproximação da musculatura abdominal, com a mesma forma de fixação e sutura da cicatriz umbilical.
Muitas vezes, associa-se também a lipoaspiração da região das costas para definir melhor a cintura abdominal.
Está indicada para pacientes com excesso de pele, associado ao excesso de tecido gorduroso abdominal.
Como em qualquer outra cirurgia, as opções atulmente de cirurgias para a plástica abdominal são várias, sendo importantíssimo a correta indicação pelo cirurgião, de qual técnica utilizar pra poder proporcionar o melhor resultado ao paciente. Por isto, é fundamental a avaliação por um especialista nesta área (um Cirurgião Plástico), para que você alcance o resultado mais adequado para seu caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário